8 de fevereiro de 2011

Entrevista com Camilli Chamone

 

Hoje estou tendo o imenso prazer de postar uma entrevista que fiz com a super hiper mega Camilli Chamone graduada em odontologia , pós graduanda em odontopediatria, especialista em Genética e Biologia Molecular(ufa!) e criadora de frenchies que tem o blog Ville Chamonix.

Camilli e Leo

http://1.bp.blogspot.com/__kxhOYhfnP4/TJVWkEBwdGI/AAAAAAAADHo/g7oc9C6yUsg/s1600/Camilli+e+Leo.jpg

Então, lá vamos nós.

1. Camilli, nós vemos pelo blog que você tem muito conhecimento sobre a raça, exemplares maravilhosos e isso vem de uma certa experiência e estudos. Há quanto tempo você cria Bulldogues Franceses?

Obrigada pelos gentis elogios, Aline!  Sou criadora de frenchies registrada pela CBKC/FCI desde 2006.

2. Como começou a sua paixão pelos BF's?

Quando tive minha primeira frenchie, que chegou a mim quase que "por acaso". Ela era adorável, engraçada, divertida e inusitada. O maior problema dos frenchies é que a gente não consegue ter um só! Algum tempo depois fiquei com muita vontade de ter outro... então comecei a estudar e me dedicar mais à raça!

3. Para você, qual foi a decisão mais acertada no seu plantel?

Selecionar os futuros proprietários dos filhotes que não ficam comigo e só vendê-los com cláusulas contratuais específicas para castração. 

4.Vemos muitos falando sobre linhagens diferentes, e conformações diferentes nos BF's. Isso é verdade, ou é mito?

É verdade. Há alinhagem européia e a linhagem americana. Mas, não existe nenhuma contra-indicação em fazer o acasalamento entre cães de linhagens distintas, aliás, conheço lindos frenchies resultantes destes acasalamentos.

5.Qual é a que você prefere?

A clássica linhagem européia!

6.Para você, quais são os cuidados indispensáveis à um BF?

O principal cuidado com um frenchie é NUNCA submeter este cão a longos períodos de solidão diários. Alimentação de qualidade é segundo, mas não menos importante, cuidado com um frenchie. Bulldogs franceses possuem o trato gastro-intestinal sensível e uma dieta inadequada reflete rapidamente em seu estado geral de saúde.

7.Você acha recomendável a raça para crianças e idosos?

Depende da criança (risos). Nenhuma raça canina é recomendada para "crionças" que não sabem respeitar os limites de um animal. Mas, considerando uma criança bem educada, acho prudente esperar até que ela seja maiorzinha (6 anos), para que não corra o risco de ser derrubada com as brincadeiras abrutalhadas de um bulldog francês.

Frenchies podem ser companhias maravilhosas para pessoas na terceira idade. Mas, deve-se levar em conta que são cães pesados (10-12 kg). Dependendo da condição física da pessoa, a raça é contra-indicada.

8.Como leitora do seu blog, vejo muitas vezes você falando da importância de não se cruzar BF's naturalmente, nem permitir o parto natural, por que dessa recomendação?

Com relação à monta: Porque bulldogs franceses são cães braquicefálicos, que possuem limitações respiratórias naturais. Considerando que a monta é um esforço e que vivemos em um país tropical, considero a inseminação artificial uma medida de segurança para evitar hipertermia.

Com relação ao parto normal: atonia uterina é comum na raça. Diz-se que os filhotes tem dificuldade de atravessar o canal do parto, uma vez que as dimensões pélvicas da "buldoga" são pequenas em relação ao seu corpo e em relação aos filhotes. O fato é que é enorme o número de complicações durante o trabalho de parto normal. As estatísticas mostram que a cesariana é mais segura, tanto para a mãe, quanto para os filhotes.

9.Quais são as doenças mais frequentes nos BF's e quais normalmente são confundidas com outras pela pura falta de conhecimento dos veterinários e proprietários?

Hipertermia é o principal problema da raça, seguido de lesão medular. Percebo bastante iatrogenia na área veterinária quando o assunto é lesão medular em frenchies. A sensibilidade gastro-intestinal a dieta de baixa qualidade também é raramente diagnosticada.

10. Muitos cães, mesmo tendo pêlos curtinhos, eles soltam bastante pêlo. Esse é o caso dos frenchies?

Sim, frenchies soltam pelo constantemente. Entretanto, 1 ou 2 vezes ao ano, eles soltam pelo escandalosamente! Costuma ocorrer em algum período do começo da primavera até o fim do verão - é a chamada alopécia sazonal. Frenchies que se alimentam de ração soltam mais pelo que os cães alimentados com dieta caseira balanceada.

11.Vejo pelo seu blog a sua paixão pela Alimentação Natural para frenchies, de onde você a conheceu, e quais foram suas primeiras impressões ao ler as primeiras linhas sobre a An?!

Quando a Sylvia Angélico começou a divulgar a dieta com carnes e ossos crus no blog pessoal dela - há quase 3 anos! - tomei conhecimento da dieta. Mas, confesso, fiquei bastante desconfiada... não pela questão dos ossos, não pela questão da carne crua... mas, porque a dieta não possuía nenhuma fonte de carboidrato! Eu só conseguia imaginar o Ciclo de Krebs pedindo ajuda desesperadamente pela falta de glicose proveniente na dieta. Mas, então, comecei a estudar e vi que as coisas não eram bem assim... que cães são fisiologicamente carnívoros. Desde então, a Sylvia é minha "gurua" na dieta dos frenchies. Hoje, já sei que os grãos (carboidrato purooo!) são grandes vilões para os frenchies.

Como o conhecimento é libertador, né? :) 

12.Para os futuros proprietários dos seus frenchies, você faz contrato. O que é que você pede nesse contrato?

O meu contrato é muito extenso, mas algumas questões são inegociáveis e explicam um pouco da filosofia da minha criação: 

1. castrar o filhote até os 8 meses de idade (salvo quando condições de saúde não permitem), ou seja, meus cães de companhia são única e exclusivamente para companhia, NUNCA reprodução;

2. me devolver o cão caso algum dia a pessoa que o comprou sinta-se impossibilitada de cuidar dele, ou seja, não é permitido revendê-lo, doá-lo, emprestá-lo, rifá-lo e outras barbaridades que vemos por aí! 

 13.Para você, qual a importância das exposições cinófilas para os criadores sérios de hoje?

É uma maneira importante de avaliar os outros cães que estão em reprodução no nosso país e, honestamente, não vejo como estar no mundo da criação de cães sem estar no mundo do dogshow

14. Se uma pessoa te falar: "quero começar uma criação de bulldogues franceses, qual a dica que você me dá?" o que você responderia?

Estude sobre a raça, frequente exposições cinófilas, ANTES de ter seu frenchie.  Nunca adquira um cão de alguém que você não confie 100% e que se recusa a compartilhar informações sobre a sua criação.

15. O que para você é inadmissível no comportamento dos criadores de frenchies do Brasil?

1. Venderem filhotes sem selecionar proprietários;

2. Venderem filhotes e não se preocupar em castrá-los;

3. Não se responsabilizarem pelos filhotes que produzem;

4. Não darem a devida importância aos testes de saúde dos cães em um programa reprodutivo. 

16. O que você acha sobre as pessoas que compram um animal por pena numa pet shop? 

Acho que estão alegrando os fabricantes de filhotes e contribuindo com o aumento deste comércio!

17. E para terminar com chave de ouro, diz para gente como é a vida ao lado de um Frenchie?

Aaaaaaaah, frenchies são os seres mais adoráveis deste universo e de todos os universos paralelos a este!!!! Quem tem sabe... frenchies não são cães, frenchies são frenchies!

 

 

Camilli, só tenho a te agradecer profundamente. É uma honra gigante te ter aqui como entrevistada devido à admiração e respeito que tenho por você.

3 comentários:

  1. A honra foi minha, Aline!
    Obrigada por permitir que eu compartilhe um pouquinho do meu amor pelos frenchies aqui no seu cantinho.
    :)

    ResponderExcluir
  2. Olha, as pessoas me veem escrevendo elogiando a Camilli por aí e pensam que somos aquele tipo de amigas que concordam em tudo e que vivem pra puxar a sardinha uma da outra, mas posso dizer com o mais absoluto ORGULHO: somos amigas justamente por respeitarmos nosso direito em discordar. Lógico que em muitos e muitos pontos concordamos 100%, mas não para agradar uma à outra e sim por concordar mesmo. Mas se não rolar, temos liberdade em dizer pra outra "Não acho, não concordo".

    E tudo isso só me faz admirar ainda mais o trabalho da Camilli. Ainda mais que os criadores realmente sérios e comprometidos como ela são tão raros quando cabeça de bacalhau: dizem que existem, mas vai achar um!

    Fora que a Camilli desenvolve um trabalho fantástico de educação sobre guarda responsável em seu blog, para o qual bato palmas e mais palmas.

    Beijo grande, querida Aline e beijo pra Camilli!

    ResponderExcluir
  3. oq ue uedevo fazer quando um vizinho ameaça a matar um cão?

    ResponderExcluir

Comente a vontade.
Mantenha as normas básicas de convivência e seja bem vindo.